Transmissão de sessões de câmaras
ao vivo em vídeo de sua cidade
Selecione uma cidades disponível abaixo:

Uraí - Pr

sobre a cidade

A cidade já foi a "Capital Mundial do Rami", com a produção de 7 mil toneladas da fibra, por ano. A exportação chegou a ser feita o Japão, Itália, França, Suíça e Estados Unidos. Mas o rami quase desapareceu do município, que fica no norte do Paraná, por causa de uma seqüência de geadas e a instabilidade do mercado. Os agricultores diversificaram e, hoje, Uraí ocupa o segundo lugar em produtividade no estado em uva fina de mesa.

Sobre a origem do nome Uraí, quem explica é o pioneiro Basileu Marfará. "O fato é que os antigos moradores, por serem em maioria japonesa, queriam dar à cidade um nome mais brasileiro possível. Desta forma fizeram um estudo e chegaram à conclusão de que os dois nomes mais ligados às nossas tribos indígenas, os primeiros moradores de nossa terra, eram mandioca e curare ou Uraí. Curare era a planta em que se extraía o veneno necessário para a vida e a subsistência dos índios. Entre os dois, escolheram curare por acharem o que melhor se encaixava com a história do município".

Com o fim da guerra, a produção da fibra foi retomada e a cidade voltou a abastecer o mercado interno e externo. Nos anos 1970, a cidade se tornou a maior produtora de rami do mundo, ganhando o cognome de "Capital Mundial do Rami", com a produção de 7 mil toneladas da fibra, por ano. Uma parte da produção era consumida no país, principalmente por indústrias de tecidos e barbantes e grande parte era exportada para o Japão, Itália, França, Suíça e Estados Unidos.

Nos anos 1980, uma seqüência de geadas e a instabilidade do mercado do rami levaram os agricultores a diversificar as culturas e a fibra foi dando espaço para outras culturas como a suinocultura, avicultura, plantação de frutas, a de algodão e de cereais, além do café, o algodão, a soja, o trigo e milho, já produzidos na cidade.

Aos poucos, a fibra foi perdendo sua força. Não se exportava mais. O mercado interno começou a usar outras fibras e a Companhia de Indústria Paranaense de Rami (Cipra) fechou. Com a queda do rami, Uraí encontrou na diversificação de culturas a sua vocação e é hoje um dos maiores produtores de frutas do Paraná, com destaque para a produção de uva fina de mesa, ocupando o segundo lugar em produtividade.

Uraí mudou também no setor industrial, com a chegada de algumas fábricas para ocupar os antigos barracões onde eram depositados o algodão e o café, que foram as primeiras monoculturas do município. No antigo prédio do Instituto Brasileiro de Café (IBC) foi instalada uma fábrica de móveis, que se tornou a maior empregadora do município no setor privado, com cerca de 150 empregos.

 

Prefeito e vice

Sérgio Henrique Pitão – PSC
 

 

 

Vereadores

 

                                    

 

        Ademir Ambrósio – PSC             Edmar dos Santos- PT               Adilson R. Matta- PR          

              

 

                            

   Roberto Ap. Ferreira – PR        Silvânia A. M. Miasaki- DEM       Lidamar M. N. Akyoshi – PSC

 

    

                               

 

       Vinicius F. Laureano – PMN       Claudinei L. dos Reis – PPL           Willians Hideto Iwai – PMDB